sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Conheça os espaços ao ar livre e as opções culturais de Montpelier, em Vermont (EUA)

Sarah Beck 
New York Times Syndicate


Espremida entre a mata fechada e as margens do rio Winooski, Montpelier, com uma população de oito mil habitantes, é a capital do estado norte-americano de Vermont e uma das menores do país, mas está entre as mais progressistas: além de ter sido a primeira a abolir a escravidão, em 1777, foi a primeira também a permitir a união civil entre casais do mesmo sexo.

36 horas em Montpelier, Vermont (EUA)

Foto 1 de 11 - Espremida entre a mata fechada e as margens do rio Winooski, Montpelier, com uma população de oito mil habitantes, é a capital do estado norte-americano de Vermont e uma das menores do país Piotr Redlinski/The New York Times
Entre os moradores dessa cidadezinha no sopé das Green Mountains estão estudantes (do Vermont College of Fine Arts), cinéfilos (em março é realizado o Festival de Cinema de Green Mountain), gourmets (a cidade é sede do Instituto Culinário da Nova Inglaterra), artistas e apaixonados pela vida ao ar livre. Aí também estão incluídos, durante parte do ano, os legisladores que apoiam, com seus votos e ancinhos, a Iniciativa Farm-to-Plate de 2009 que enfatiza o compromisso estadual com uma economia agrícola sustentável. À procura de uma boa refeição, um filme de arte ou música ao vivo? Você pode encontrar tudo e muito mais nessa pequena capital.

Sexta

16h - Belas vistas
Não é difícil se orientar numa cidade cujo centro consiste numa área de mais ou menos cinco quadras. Faça uma parada no Capitol Region Visitors Center (134 State St.; 802-828-5981; bgs.vermont.gov/information_centers/capitol) para pegar um mapa e obter informações de como chegar ao Parque Hubbard, com 74,7 hectares e mais de onze quilômetros de trilhas. A caminhada é árdua, mas nada mais agradável que uma pausa no mirante da Cliff Street, de onde é possível admirar as torres da igreja se destacando de encontro ao céu e os prédios em estilo colonial e federalista que parecem flutuar sobre as águas, inabaláveis diante das enchentes passadas, inclusive os três metros de água causados pelo furacão Irene. Depois, suba a torre de observação de 16 metros de onde se pode ver a Camel's Hump, uma das montanhas mais altas de Vermont.

18h30 - Na base do taco
O esqui não é o único esporte praticado em Vermont; a pouco mais de três quilômetros para o norte, na Elm Street, fica o Montpelier Recreation Field, construído em 1941, onde treina e joga o time universitário do Vermont Mountaineers (ingressos a US$ 6). As encostas ensolaradas atrás das arquibancadas garantem vista boa de qualquer lugar, inclusive para se admirar a mascote do time, a marmota Skip. Vale experimentar a massinha frita com xarope de bordo (US$ 3) - só não vale ficar com inveja dos torcedores que colhem cenoura e ervilha-torta do próprio quintal.

20h30 - Mais local, impossível
No Salt (207 Barre St.; 802-229-6678; saltcafevt.com), a dona, Suzanne Podhaizer, ex-crítica gastronômica, criou um café pequeno e simples. As ervas, legumes e verduras usados ali são colhidos numa horta nos fundos. Uma opção de cardápio é carne de cabrito defumada sobre arroz pilaf e gastrique de hortelã (US$ 24), ragu de cogumelo com polenta (US$ 19) e sorvete caseiro de mel polvilhado com amêndoas e especiarias (US$ 6).

22h30 - Diversão eclética
Não há muito que fazer em Montpelier nas altas horas da madrugada - a menos que se conte a observação do céu estrelado. Alguns lugares, porém, oferecem música e bebidas para os notívagos. O Black Door (44 Main St.; 802-225-6479; blackdoorvermont.com) é um bar e bistrô instalado numa casa de pedras com iluminação discreta e cortinas de veludo vermelho onde se ouvem clássicos do jazz e da música country. Se preferir algo mais agitado, vá ao Charlie-O's, quase ali ao lado, para bebericar uma Pabst Blue Ribbon (US$ 2), jogar bilhar ou curtir uma das bandas de rock locais (70 Main St.; 802-223-6820).

Sábado

9h30 - Feira agrícola no centro
O brasão de Vermont mostra montes de feno e uma vaquinha; você pode apreciar todo esse entusiasmo agrícola na Capital City Farmers Market (esquina da State e Elm; 802-223-2958; montpelierfarmersmarket.com). Toda semana, mais de 50 produtores se reúnem nessa feira para oferecer itens como leite de cabra e toucas de lã tingidas à mão. Experimente a pizza de café da manhã (bacon, ovo e queijo) da WoodBelly Pizza (US$ 4) acompanhada de hidromel de mirtilo da Artesano (US$ 22) ou vá à Bagitos (28 Main St.; 802-229-9212; bagitos.com) para comer bagels com uma xícara de café da Vermont Coffee Company ao som dos violinistas que apresentam as Sessões Irlandesas semanais.

  • Piotr Redlinski/The New York Times
    State House, o prédio em estilo grego/renascentista de 1859 que abriga a Câmara Estadual de Vermont
11h - Aula de História
Nos passeios organizados pela State House, o prédio em estilo grego/renascentista de 1859 que abriga a Câmara Estadual, é possível admirar o mármore preto à prova de fogo do Lago Champlain, a arte inspirada na Guerra Civil, sentar às mesas de trabalho dos legisladores e conferir o "gaselier" (candelabro a gás) que pesa "o equivalente a uma Kombi" (115 State St.; 802-828-2228; vtstatehouse.org). A seguir, vá ao Museu da Sociedade Histórica de Vermont (109 State St.; 802-828-2291; vermonthistory.org), para ver a coleção permanente que inclui uma tenda Abenaki (US$ 5 por pessoa).

13h - Mergulho na natureza
Os nativos de Vermont levam a natação a sério. Vá a Bear Pond Books (77 Main St.; 802-229-0774; bearpondbooks.com), dê uma espiada em "Take the Plunge", de David Hajdasz, e descubra como chegar às águas mais agitadas da região. Se quiser um local mais tranquilo, com água mais quente, pegue um sanduíche no Mad Taco (72 Main St.; 802-225-6038; themadtaco.com) e siga oito quilômetros ao norte para chegar a Wrightsville Beach Recreation Area (369 Route 12; 802-272-0779; wrightsvillebeachvt.com), onde o Winooski foi represado para virar um lago tranquilo, com uma prainha minúscula, um deque para barcos e área para piquenique (US$ 2,50). Na volta, dê uma parada no North Branch Nature Center (713 Elm St.; 802-229-6206; northbranchnaturecenter.org) para observar os pássaros dos mais de onze hectares do centro.

16h - Explorando a cidade
Saboreie um milk-shake de café na Coffee Corner (83 Main St.; 802-229-9060;coffeecorner.com), onde os políticos locais almoçam há 53 anos, ou vá ao Three Penny Taproom (108 Main St.; 802-223-8277; threepennytaproom.com) para provar o chope tirado das 24 torneiras alinhadas no balcão. Não precisa de muito tempo para explorar as vitrines das lojinhas de Montpelier. A Getup Vintage (27 Langdon St.; 802-279-5942) vende sandálias de salto no melhor estilo retrô e vestidos de miçanga dos anos 20 no mesmo espaço da loja de discos Buch Spieler (802-229-0449; bsmusic.com), onde se pode tentar tocar um harmônio de 1896 ou comprar uma cópia do primeiro álbum do The Fugs. Ali ao lado, o Rivendell Books (100 Main St.; 802-223-3928; rivendellbooksvt.com) deve ser o único sebo em que se lê a respeito das tartarugas do deserto russas enquanto admira uma, de verdade, chamada Veruca.

19h30 - Passeio e dança
O gramado da State House vira uma varanda pouco antes do pôr-do-sol, onde você pode se juntar aos casais e famílias que passeiam ou se sentam ali para acompanhar o jogo de frisbee da garotada. Depois, vá ao Capital City Grange (6612 Route 12; 802-229-9425;capitalcitygrange.org) para uma Contradança. Se quiser, entre na dança, mas é possível ficar só admirando as vovozinhas bailando com cavalheiros de saia e moças bonitas fazendo par com fazendeiros barbudos (US$ 8).

21h30 - Hambúrguer de primeira
Corra para o Kismet (52 State St.; 802-223-8646; kismetkitchens.com) antes que a cozinha feche e peça um dos sete tipos de hambúrguer servidos ali, incluindo o vegano com tempeh (US$ 14). A atmosfera de casa de fazenda chique permite que você se esparrame no sofá de couro, leia os folhetos que defendem o movimento "slow food" e saboreie um coquetel Honey Flower (vodca com infusão de chá de camomila e St. Germain, US$ 9).

  • Piotr Redlinski/The New York Times
    Garotinho toca flauta em uma loja na State Street

Domingo

10h - Xarope de bordo
Oito gerações da família Morse, da Morse Farm Maple Sugarworks (1168 County Road; 800-242-2740; morsefarm.com) se especializaram em preparar o xarope para a sua panqueca e Burr – especialista em sua fabricação, jornalista, entalhador e músico – geralmente está no local para mostrar os equipamentos e contar histórias. Passeando pela propriedade é possível admirar Otis, o cabrito artista, e uma réplica da State House. Não vá embora sem antes provar o "creemée", uma casquinha de sorvete perfumado com xarope de bordo e coberto de cristais de açúcar (US$ 2).

Meio-dia - Sopas e histórias
No That's Life Soup (41 Elm St.; 802-223-5333), a chef e dona, Pamela Root, todo dia serve quatro tipos de sopa de sua coleção de mais de 500 receitas - e conta tudo sobre as origens de seu alimento, o tempo que passou trabalhando na fábrica da Ben & Jerry e por que os dentes contam tudo sobre a saúde de uma pessoa. O borscht, sopa fria da cor das frutas vermelhas, é tão bonito que dá até pena tomar (a partir de US$ 9).

Se você for
O Inn at Montpelier (147 Main St.t; 802-223-2727; innatmontpelier.com) foi construído originalmente no início do século 19, como duas casas separadas, antes de se tornar pousada, em 1988. Os 19 quartos são espaçosos e, na varanda, é possível bebericar uma xícara de café saboreando os doces do Instituto de Culinária da Nova Inglaterra e lendo o jornal. Diárias entre US$ 165 e US$ 250.

De frente para a State House, o Capitol Plaza Hotel e Centro de Conferência (100 State St.; 802-223-5252; capitolplaza.com) oferece 62 quartos, restaurante e academia; diárias entre US$ 133 e US$ 282.

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...